O novo saiu de moda

Quase tudo que seu bebê precisa para viver com conforto já foi produzido e está disponível no mundo, basta compartilhar para economizar.

Gravidez

Finanças

Mesmo tão pequenos, os bebês dependem de muitos itens para garantir seu conforto e segurança nos primeiros anos de vida. Bercinho, carrinho, banheira, bebê conforto, chiqueirinho, cadeirão, roupas e outros produtos com preços nem sempre tão amigáveis.

Equipar a casa e o carro para receber um bebê pode gerar despesas pesadas na família. Outro desafio é saber o que fazer com tantos itens que ocupam espaço e não servem para nada depois que o bebê cresce. Como aproveitar o chiqueirinho quando seu filho já não quer mais usá-lo?  O que fazer com aquela cadeirinha do carro depois que o bebê cresceu e já não cabe mais nela?

Pensando em aproveitar a ociosidade de produtos como esses e estimular o uso mais racional dos recursos naturais consumidos cada vez que se fabrica um novo produto, surgiu a economia compartilhada. Com ela, você pode doar, vender, emprestar, alugar ou trocar o que já comprou e está parado em casa ou então economizar com a compra, fazendo uso compartilhado do que já existe. Veja alguns exemplos:

O site Ficou Pequeno é uma plataforma que aproxima pais que desejam vender os enxovais de seus filhos e famílias que buscam produtos mais em conta para vestir ou equipar seu bebê. Basta se cadastrar no site e anunciar seus produtos gratuitamente, indicando o valor que considerar adequado a cada um deles. O site recebe uma comissão a cada venda realizada. Quem compra escolhe como quer pagar e receber.

Já o Retroca compra diretamente dos vendedores, depois anuncia os produtos e revende aos interessados. Assim quem está vendendo pode receber o valor de todas as peças uma única vez, pago diretamente pelo site. E quem compra recebe em casa produtos de marcas famosas com preços acessíveis e comodidade.

A Ciranda é uma plataforma que permite ao usuário compartilhar itens com seus vizinhos. A proposta é ajudá-lo a adquirir um item desejado, sem a necessidade de ter que comprá-lo. A idéia é bem simples: Você procura por qualquer item que precisa, e o site acha o vizinho mais próximo que possa ajudá-lo.

No Facebook existem inúmeras comunidades de compra, venda e troca de produtos para bebês, organizados diretamente pelos interessados, basta procurar.

E se você vai viajar e precisa usar um produto por apenas alguns dias, não precisa transportar tudo e pagar excesso de bagagem, pode fazer o aluguel em sites especializados como o Clube dos Carrinhos, o Bebê Viaja e o Aluga.

Saia do óbvio e aproveite as facilidades do mundo digital para montar o ninho do seu bebê com economia, segurança e praticidade, contribuindo para reduzir o desperdício, o consumo desnecessário de novos produtos e a produção de lixo. O planeta e o futuro do seu filho agradecem.

Para saber mais sobre economia compartilhada, acesse o Consumo Colaborativo.

 

Artigos Relacionados

Olho nas contas

Nem sempre os pais percebem que criar um bebê exige investimentos antes, durante e depois do nascimento.

Os preparativos de última hora

A família deve se habituar a ter dinheiro de emergência para táxis ou remédios. A mala da maternidade também deve estar pronta com antecedência

Aconchego para o bebê, o bolso e o planeta

Veja sugestões para montar o cantinho do bebê gastando pouco e consumindo de forma consciente.